Eurosport

Cinco perguntas a Olivier Bonamici

Cinco perguntas a Olivier Bonamici

The 26/08/2019 at 13:09Updated The 26/08/2019 at 13:12

O que opinia o especialista de ciclismo do canal sobre esta edição da Vuelta.

Após uma Volta à França emocionante, o que se pode esperar desta edição da Vuelta?

Olivier Bonamici – “O Tour colocou uma fasquia muito elevada em termos de emoções e será difícil fazer melhor, mas creio que o ciclismo entrou numa nova fase em que o suspense está cada vez mais intenso, e em que os ciclistas mais ofensivos são melhor recompensados. Por isso, é de prever uma Vuelta espetacular, sobretudo porque nas últimas edições, tirando a do ano passado, o primeiro classificado tem raramente mais de 1 minuto de vantagem sobre o segundo classificado.”

O que achas do percurso deste ano da Vuelta?

Olivier Bonamici – “A Vuelta tem sido considerada por muitos como a ‘Grande Volta’ mais montanhosa e a edição deste ano não foge à regra com oito chegadas em alto e com 59 subidas! Ou seja, mais 13 em relação ao ano passado. Tal como no Tour, onde isso aconteceu na 2.ª etapa, haverá rapidamente um contrarrelógio por equipas. Aliás, na Vuelta 2019, será na 1.ª etapa. E, tal como na Volta a França, haverá apenas um contrarrelógio individual de uma distância mais ou menos semelhante (cerca de 36km). Mas a grande novidade será na 9.ª, em Andorra, com a estreia na Vuelta do ‘sterrato’, a terra batida que tanto espetáculo costuma dar na prova italiana Strade Bianche.”

Quem poderá ganhar esta edição da Vuelta 2019?

Olivier Bonamici – “Primoz Roglic será sem dúvida um dos grandes favoritos, sobretudo porque terá com ele uma equipa da Jumbo-Visma muito forte. Mas pela primeira vez na historia, tivemos dois vencedores de uma ‘Grande Volta’ no mesmo ano que não são europeus (Carapaz no Giro e Bernal no Tour), por isso não descarto que essa tendência se repita na Vuelta até porque há dois sul-americanos que me parecem fortes candidatos à vitória: o equatoriano Richard Carapaz e o colombiano Miguel Ángel López e depois há ainda o mistério Nairo Quintana.”

Porquê o "mistério" Nairo Quintana?

Olivier Bonamici – “Porque não sei como é que será a relação entre os três ciclistas da Movistar: Richard Carapaz, vencedor do Giro e que mudou de estatuto; Alejandro Valverde que corre em casa; e Nairo Quintana nada habituado ao papel de gregário de luxo. Curiosamente, Carapaz e Quintana estão de saída da equipa Movistar. Por isso, será para mim uma das grandes incógnitas da Vuelta. A Movistar tem tudo para ganhar, resta saber se a equipa espanhola será brilhante, como no Giro, ou medíocre, como no Tour.”

Sentes-te confiante para ganhar novamente o jogo das apostas?

Olivier Bonamici – “Essa pergunta nem faz sentido (risos)! Claro que irei ganhar, apesar de uma pequena mudança no regulamento no jogo, porque pela primeira vez, o primeiro classificado no jogo será sempre o