Getty Images

Liège-Bastogne-Liège, esse Monumento!

Liège-Bastogne-Liège, esse Monumento!
By Eurosport

The 22/04/2019 at 15:55Updated The 22/04/2019 at 15:58

"A Velha Senhora" como também é conhecida esta prova é uma das clássicas de ciclismo que não vai querer perder no Eurosport.

A Liège-Bastogne-Liège é a terceira e última das “Clássicas das Ardenas” e um dos cinco “Monumentos” do ciclismo, junto com a Milano-Sanremo, a Volta à Flandres, a Paris-Roubaix e a Volta à Lombardia. A primeira edição realizada em 1892 faz desta prova, também conhecida por “La Doyenne” (A Velha Senhora), uma das mais antigas da história da modalidade. Por acontecer em finais de abril, na região belga das Ardenas, é comum dizer-se que esta é a última das “Clássicas da Primavera”.

A Liège-Bastogne-Liège é considerada uma das provas de um dia mais difíceis do mundo devido à sua distância e percurso exigente e por vezes marcado por condições atmosféricas adversas. Ao contrário de outras clássicas, a dificuldade para o pelotão não advém dos setores de empedrado, mas sim das subidas. Depois de vários anos a partir de Ans, o percurso foi alterado e o pelotão sai do centro de Liège, rumo a Bastogne, próximo da fronteira com o Luxemburgo, para regressar novamente a Liège. Pelo caminho, os ciclistas enfrentam uma dúzia de curtas, mas duras subidas, entre as quais se destacam os emblemáticos Côte de Saint-Roch, Côte de Stockeu, Côte de la Redoute, Côte de Wanne ou o Côte de la Roche aux Faucons, uma rampa com uma extensão de 1.5 km e uma inclinação de 9.9%. Será a última antes da meta, este ano, situada no centro da cidade de Liège, com um final plano ideal para sprinters. Ao todo, o pelotão terá de cumprir 256 km.

Ao longo da história de 104 edições, contam-se vencedores como Léon Houa, Moreno Argentin, Alejandro Valverde ou Eddy Merckx, o super-campeão belga que detém um recorde de cinco vitórias, obtidas em 1969, 1971, 1972, 1973 e 1975. No ano passado, o luxemburguês Bob Jungels (Quick-Step Floors) isolou-se a 19 km do final e não mais olhou para trás cortando a meta com uma vantagem de 37 segundos para o rival mais direto.