A etapa rainha dos Alpes prometia muito espectáculo e a elite do pelotão internacional não defraudou as expectativas. Chris Froome sobreviveu a um ataque potencialmente letal de Nairo Quintana (Movistar) e conseguiu segurar a camisola amarela sob condições muito difíceis e em grande parte graças ao excelente trabalho dos colegas Richie Porte e Wout Poels.
A Francaise des Jeux jogou o tudo ou nada nesta tirada de 110.5km colocando Alexandre Geniez na fuga logo após a partida em Modane Valfréjus. O francês de 24 anos acabou por desempenhar um papel fundamental para o triunfo de Pinot.
As primeiras movimentações aconteceram na penúltima contagem do dia, a subida de categoria extra ao Col de Croix de Fer, mas foi no emblemático Alpe D’Huez que se discutiu a luta pela etapa e pelo pódio em Paris.
Ciclismo
Começa uma nova época do PGA Tour para seguir no Eurosport
YESTERDAY AT 17:13

Thibaut Pinot.

Image credit: Panoramic

Pinot que tinha até descolado do grupo dos favoritos no Croix de Fer atacou no sopé do Alpe D’Huez com resposta de Ryder Hesjedal. O francês da FDJ, vencedor da camisola branca na edição transacta do Tour e terceiro colocado no pódio nos Campos Elisios, conseguiu alcançar Geniez que seguia na frente da corrida e depois partiu sozinho à procura da vitória na etapa.
No grupo do camisola amarela, Nairo Quintana lançou o primeiro ataque a cerca de 11km da meta mas foi rapidamente neutralizado pela Sky graças ao excelente trabalho de Porte e Poels.
Mas a Movistar não se deixou ficar e voltou à carga pouco depois com Alejandro Valverde e Nairo Quintana a unirem esforços e a colocar à prova Chris Froome. Desta feita a táctica funcionou e o camisola amarela ficou para trás.
A cerca de 6kms da meta Quintana já levava 35 segundos de vantagem para Froome e seguia no encalço de Thibaut Pinot. Jogava-se a camisola amarela e a vitória na etapa.

Chris Froome bousculé lors de la 19e étape du Tour de France 2015

Image credit: Panoramic

O colombiano da Movistar continuou a ganhar tempo face a Froome e a 4km do alto a vantagem já ia em um minuto.
Pinot agarrou-se com unhas e dentes e conseguiu resistir à aproximação vertiginosa de Quintana e cortar a meta isolado com 18 segundos se vantagem sobre chefe de fila da Movistar. Foi a segunda vitória de Pinot no Tour depois do triunfo em Porrentruy há três anos.
“O Alpe D’Huez, sobretudo para os franceses, é uma etapa com que todos os ciclistas sonham. É a etapa mais bonita para se vencer no Tour. É verdade que a equipa teve uma Volta à França muito difícil mas nunca desistimos, sempre nos propusemos a atacar. Esta vitoria é muito boa para nós, para a equipa mas também para a França”, disse Pinot
Quintana ficou muito perto mas ficou sem estrada para alcançar o rival gaulês e teve de se contentar com o segundo posto, 17 segundos depois de Pinot.
Froome deu tudo para minimizar as perdas para o colombiano e apesar de ter cedido um minuto e 20 segundos conseguiu salvaguardar a liderança da geral e a respectiva camisola amarela.
“Foi uma última subida muito emocional. Tinha tantas emoções, tantos pensamentos. Quando o Quintana atacou foi uma avalanche. Tudo me passou pela cabeça. Estive em grandes dificuldades. Tive de ir até ao fundo das minhas reservas. Tinha a companhia do Richie Porte e do Wout Poels e eles deram o máximo. Foram eles que me salvaram no final”, confessou Froome no final
Nairo Quintana recorreu às suas qualidades de puro trepador e fez uma etapa de cortar a respiração mas foi incapaz de recuperar o tempo de desvantagem para o Froome. O “condor dos Andes” repete desta forma o feito de 2013, quando fez segundo no Tour, precisamente atrás de Chris Froome e conquistou a camisola branca da juventude. A Movistar despede-se do Tour sem a tão ambicionada camisola amarela mas coloca dois homens no pódio final, graças ao terceiro lugar de Alejandro Valverde, e conquista ainda a classificação por equipas.
“Tentámos escapar na Croix de Fer mas não conseguimos. Depois voltámos a tentar no Alpe D’Huez mas não foi suficiente para recuperar o tempo perdido. Mesmo assim estou muito feliz por tudo aquilo que a equipa fez por mim. Trabalhamos muito e posso dizer que perdemos o Tour na primeira semana”, disse Quintana

Nairo Quintana prend la poudre d'escampette devant Chris Froome lors du Tour de France 2015

Image credit: AFP

Para além de garantir a conquista da camisola amarela Chris Froome tornar-se no sétimo ciclista da história do Tour a vencer a classificação geral e da montanha na mesma edição.
Classificação da Etapa 20:
1. Thibaut Pinot (FDJ) 3h17'21"
2. Nairo Quintana (Movistar) +18"
3. Ryder Hesjedal (Cannondale) +41"
4. Alejandro Valverde (Movistar) +1'38"
5. Chris Froome (Team Sky)
6. Pierre Rolland (Europcar) +1'41"
7. Richie Porte (Team Sky) +2'11"
8. Winner Anacona (Movistar) +2'32"
9. Wout Poels (Team Sky) +2'50"
10. Ruben Plaza (Lampre) s.t.
Classificação Geral:
1. Chris Froome (Team Sky) 81h56'33"
2. Nairo Quintana (Movistar) +1'12"
3. Alejandro Valverde (Movistar) +5'25"
4. Vincenzo Nibali (Astana) +8'36"
5. Alberto Contador (Tinkoff - Saxo) +9'48"
6. Robert Gesink (LottoNL) +10'47"
7. Bauke Mollema (Trek) +15'14"
8. Mathias Frank (IAM Cycling) +15'39"
9. Romain Bardet (AG2R) +16'00"
10. Pierre Rolland (Europcar) +17'30"
Ciclismo
Volta ao Luxemburgo com João Almeida abre semana de muito ciclismo no Eurosport
14/09/2021 AT 11:04
Ciclismo
Portugal com 20 ciclistas nos Europeus de estrada em Trento
07/09/2021 AT 01:04