Eurosport

"Gelson Dala e Mama Baldé serão muito importantes para as hipóteses de Angola e Guiné-Bissau!"

"Gelson Dala e Mama Baldé serão muito importantes para as hipóteses de Angola e Guiné-Bissau!"
By Eurosport

The 19/06/2019 at 17:39Updated The 21/06/2019 at 09:48

A análise de Luís Cristóvão que comenta a CAN2019 no Eurosport.

Como encara a ampliação desta CAN a mais seleções?

“De forma natural, tendo em conta o que vai acontecendo na Europa e na Ásia. O desenvolvimento do futebol num maior número de países cria esta pressão para que mais equipas possam disputar as fases finais, potenciando o valor económico da competição e permitindo uma distribuição desse valor dentro do espaço da Confederação Africana. No imediato, isso leva a que tenhamos três países estreantes (Burundi, Madagáscar e Mauritânia) e mais jogadores que evoluem em ligas africanas a poder jogar a CAN.”

A mudança da realização da CAN de janeiro para junho tem um impacto diferente nos planteis dos “grandes” em Portugal. Esta mudança de calendário é positiva ou negativa?

“Para os clubes europeus, retira o ónus de contratar jogadores africanos que, até aqui, se arriscavam a ficar mais de um mês fora de competição com os mesmos. Mas olho isso como uma consequência secundária. O mais importante é o esforço da CAF para conciliar calendários, permitindo aos jogadores chegarem a esta competição com total foco na prova, o que acabará por gerar uma maior qualidade na proposta de jogo. Para além do mais, as novas datas vão impedir que existam muitos casos de recusa em participar, como aconteceu num passado recente.”

Quem são as grandes estrelas a ter debaixo de olho nesta CAN?

“Eu diria que há um conjunto de estrelas óbvias, como são os casos de Salah, Sadio Mané, Mahrez ou Ziyech, que lutam pelo cetro de melhor jogador africano. O marfinense Pépé fez uma grande época com o Lille e será um caso a seguir, bem como o do maliano Djenepo, que passou do Standard de Liége para Southampton já neste mercado. Tenho muita curiosidade para ver como Delort, que se naturalizou argelino, poderá jogar nesta prova, bem como dois jovens das equipas lusófonas, Gelson Dala e Mama Baldé, serão muito importantes para as hipóteses de Angola e Guiné-Bissau conseguirem o apuramento para os oitavos-de-final.”