SID

Guia Dakar - Camiões, Quads e SXS

Guia Dakar - Camiões, Quads e SXS

The 06/01/2019 at 20:00Updated The 07/01/2019 at 12:44

Tudo o que precisa de saber!

CAMIÕES / DAKAR 2019
KAMAZ OU MENOS KA...

Num percurso dunar ou em espaços abertos, os russos da Kamaz devem “estar em casa”. Poderá acontecer mesmo um duelo em casa, entre Eduard Nikolaev (vencedor em título e à procura do tetra) e Airat Mardeev, que também saboreou o triunfo no “Dakar” em 2015. Seria óptimo que os camiões russos não navegassem numa classe à parte, com Dmitry Sotnikov como super-aguadeiro. Ainda assim, custa a crer que não levem para os Urais o 16º triunfo em 23 edições.
A perderem a prova, os bielorrussos da... MAZ devem estar na linha da frente para a sucessão, sobretudo Siarhei Viazovich, segundo na última edição, e bem mais experiente que o jovem Aliaksei Vishneuski, que está na terceira presença na prova e pela primeira vez sem funções de “ajudante”, pelo menos no papel.
Apesar das características do terreno, será um erro descartar as hipóteses dos mais pequenos Iveco. Até porque está de volta Gerard de Rooy depois ter tentado, sem êxito, vencer a Africa Eco Race à geral. Agora, o holandês quer o tri no “Dakar” depois de ter ganho em 2012 e 2016. A secundá-lo estará o argentino Federico Vilagra, que nos últimos dois anos andou sempre na peugada do triunfo. Só que os pilotos dos camiões italianos têm que arriscar mais... e isso pode trazer contrariedades.
Depois do falhanço de 2018, os Renault querem mostrar que tudo não passou de um “erro de percurso”. Os holandeses Martin Van de Brinke e Maurik Van em Heuvel partem com ambições de, pelo menos, top 5.
No campo da Tatra, Ales Loprais e Martin Kolomy voltam a acreditar que um dia chegará, outra vez, a hora da marca checa, que não vence desde 2001. Outro camião oficial é o Liaz do também checo Martin Macik. Completam as oito (sim, 9) marcas oficiais presentes na prova dos peso-pesados, os Hino da família Sugawara e os novos Ford vindos da Turquia, que lutam pelo triunfo na classe menos de 10 litros de cilindrada.
O MEU TOP 5 (CAMIÕES): 1º Mardeev; 2º Nikolaev; 3º Viazovich; 4º Van den Brinke; 5º Villagra.

QUADS / DAKAR 2019
UM ASSUNTO SUL-AMERICANO


Nos quads, uma vez mais, tudo parece apontar para um domínio sul-americano e dos Yamaha, até porque Juan Carlos Salvatierra foi impedido de alinhar com o Barren Racer, pois este não está à venda em série. Com alguns dos tenores da categoria a saltaram para os SxS, os argentinos Nicolas Cavigliassso e Jeremias Gonzalez (respectivamente, 2º e 3º na edição anterior) surgem na linha da frente dos favoritos, acompanhados do peruano Nelson Sanabria, o meu favorito. Os franceses Axel Dutrie e Sebastien Souday parecem ser os únicos oriundos de outro continente com reais chances. Mas como sempre acontece na categoria, as surpresas podem sempre acontecer... O MEU TOP 5 (QUADS): 1º Sanabria; 2º Gonzalez; 3º Dutrie; 4º Estanguet; 5º Cavigliasso.

SXS / DAKAR 2019
PORTUGUESES NA LUTA?
Na classe SxS é difícil apontar um vencedor entre a trintena de pilotos em prova. O nacionalismo faz-nos acreditar que Ricardo Porém, pela sua competitividade natural, tem reais chances e que Miguel Jordão (com o brasileiro Roldan, que navegou o vencedor de 2017) estará também na linha da frente”, tal como Pedro Mello Breyner. Tudo são incógnitas, mesmo a possibilidade do brasileiro Reinaldo Varela repetir o triunfo de 2018 e manter o domínio total do Brasil na categoria. Ou até a forma como a vedeta dos UTV americanos, Casey Currie, será capaz de impor a sua lei. O mesmo discurso para os expatriados dos quads, o chileno Ignacio Casale (vencedor dessa categoria em 2014 e 2018), o russo Sergei Kariakin (que venceu em 2017) ou o peruano Alexis Hernandez. Ou até para o chileno Chaleco Lopez, que quer obter nos SxS a vitória que nunca garantiu nas motos, sendo que o físico deixou de ajudar. Discurso que se aplica também ao espanhol Gerard Farrés. O MEU TOP 5 (SXS): 1º Casale, 2º Chaleco; 3º PORÉM; 4º Varela; 5º Currie.